HC alerta para aumento de 40% na ingestão de espinhas na Semana Santa

Dependendo da gravidade da complicação, a espinha pode até perfurar o esôfago

Estadão.com.br,

02 Abril 2012 | 10h44

SÃO PAULO - O Hospital das Clínicas alerta que os riscos de ingestão de espinha de peixe aumentam durante a Semana Santa, por causa do maior consumo. A instituição registrou um crescimento de 40% no número de casos nesta época.

A espinha de peixe, quando engolida, pode até perfurar o esôfago, causando falta de ar, dor no tórax e febre. Por isso, deve ser retirada com urgência através de uma endoscópica.

De acordo com o endoscopista Dalton Chaves, dependendo da gravidade, pode até conduzir à morte: "Se a espinha ultrapassar o esôfago, há grande possibilidade de ser eliminada nas fezes. Entretanto, dependendo do tamanho, ela pode parar em algum ponto do trato digestivo e provocar a perfuração de outros órgãos", afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.