Haddad põe ex-tesoureiro de Dilma no comando da Saúde

Filippi hoje é deputado federal e já foi prefeito de Diadema por 3 mandatos. Petista convidou Jilmar Tatto para Transportes

VERA ROSA / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2012 | 02h08

O deputado federal José de Filippi Júnior (PT-SP) será o secretário da Saúde na gestão Fernando Haddad (PT). Ex-prefeito de Diadema por três mandatos, foi tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, em 2010, e do comitê da reeleição de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006, após o escândalo do mensalão.

Engenheiro civil, Filippi coordenou o programa de governo de Haddad. O nome do deputado sempre foi dado como certo na equipe, mas a escolha para a Saúde surpreendeu até petistas porque ele não é médico. Em conversas reservadas, o prefeito eleito disse que o problema da saúde é de gestão e, por isso, optou por um perfil de administrador.

Formado pela Universidade de São Paulo (USP) e com pós-graduação na Universidade Harvard, Filippi foi prefeito de Diadema de 1993 a 1996; de 2000 a 2004 e de 2005 a 2008. Em um dos mandatos, acumulou o cargo de prefeito com a Secretaria da Saúde por alguns meses. Em 2010, ele só aceitou ser tesoureiro de Dilma a pedido de Lula. Amigo do ex-presidente, Filippi é hoje um dos diretores de seu instituto.

Nomes de peso. O plano de Haddad é colocar deputados federais no secretariado para dar peso político à equipe. Aos que estranham a escolha de Filippi para a Saúde, Haddad lembra que seu adversário José Serra (PSDB), ministro da Saúde no governo Fernando Henrique, não é médico.

O prefeito eleito também convidou o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (PT), para assumir a Secretaria dos Transportes. Tatto exerceu o mesmo cargo na gestão Marta Suplicy (PT).

O vereador Netinho de Paula (PCdoB) é cotado para a nova Secretaria da Igualdade Racial. O PP do deputado Paulo Maluf, por sua vez, quer indicar o secretário da Habitação. Haddad ainda avalia a conveniência de ter o PP no comando da pasta e o PT na Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab).

A fórmula, porém, pode ser inversa. Se o partido de Maluf ficar com a Cohab, o nome mais citado para o posto é o de Jesse Ribeiro, secretário-geral do PP em São Paulo. Nas fileiras do PT, o deputado estadual Simão Pedro gostaria de ocupar Habitação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.