Haddad põe ex-tesoureiro de Dilma na Saúde

Filippi hoje é deputado federal e já foi prefeito de Diadema por três mandatos. Petista sondou Jilmar Tatto para Transportes

VERA ROSA / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2012 | 02h04

O deputado federal José De Filippi Júnior (PT-SP) será o secretário da Saúde no governo de Fernando Haddad (PT). Ex-prefeito de Diadema por três mandatos, Filippi foi tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, em 2010, e do comitê da reeleição de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006, após o escândalo do mensalão.

Engenheiro civil, Filippi coordenou o programa de governo de Haddad e hoje é um dos diretores do Instituto Lula. O ingresso do deputado na equipe sempre foi dado como certo, mas a escolha para a Saúde surpreendeu até petistas porque ele não é médico. Em conversas reservadas, porém, o prefeito eleito disse que o problema da saúde é de gestão e, por isso, optou por um perfil de administrador.

Em recente reunião com Dilma, Haddad afirmou que quer fazer parcerias com o Ministério da Saúde para inaugurar Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 horas e reduzir filas de espera para cirurgias. Na campanha eleitoral, uma das polêmicas com José Serra (PSDB) referia-se ao fim dos convênios com as Organizações Sociais de Saúde. Filippi defende a manutenção dessas parcerias.

O plano de Haddad é pôr deputados federais no secretariado para dar peso político ao governo. Aos que estranham a escolha de Filippi para a Saúde, Haddad lembra que Serra foi ministro da pasta no governo FHC e também não é médico.

Transportes. O prefeito eleito também sondou, na segunda-feira, o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (PT), para assumir a Secretaria dos Transportes. Tatto é o favorito para o cargo, que já exerceu na gestão Marta Suplicy (PT), mas sua ida para o secretariado ainda depende de acertos em Brasília.

O vereador Netinho de Paula (PCdoB) é cotado para a nova Secretaria da Igualdade Racial. O PP do deputado Paulo Maluf, por sua vez, quer indicar o secretário da Habitação. Haddad ainda avalia a conveniência de ter o PP no comando da pasta e o PT na Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab).

A fórmula, no entanto, pode ser inversa. Se o PP de Maluf ficar com a Cohab, o nome mais citado é o de Jesse Ribeiro, secretário-geral do partido em São Paulo. Nas fileiras do PT, o deputado estadual Simão Pedro gostaria de ocupar Habitação.

Quatro dos cinco secretários anunciados por Haddad se reuniram ontem com os atuais titulares das pastas, para discutir transição nas áreas de planejamento e desenvolvimento urbano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.