Haddad já assinou a criação de novos conselhos

Prefeito que assume hoje também redefiniu as 26 secretarias; na Prefeitura, haverá troca de faixas com Kassab e primeiro discurso

BRUNO PAES MANSO, O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2013 | 02h02

O 61.º prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, toma posse hoje, às 15 horas. E já assinou seu dois primeiros decretos, mesmo antes de assumir.

Segundo o futuro secretário de Governo, Antonio Donato (PT), a primeira medida será reorganizar a estrutura da gestão paulistana. O primeiro decreto traz as 27 secretarias, com reestruturações e incorporações. Também foram criados cinco comitês integrados de gestão definidos pelo prefeito para juntar secretarias com demandas e temas em comum. São eles os comitês de cidadania, desenvolvimento social, desenvolvimento sustentável, ordenação territorial e gabinete.

Medidas provavelmente mais polêmicas do novo governo, o envio de projetos de lei para a Câmara Municipal para mudar as regras de inspeção veicular e aumentar a tarifa de ônibus ficaram para fevereiro. Mas a principal batalha no Legislativo deverá ocorrer em torno da revisão do Plano Diretor, que vai envolver nova legislação de zoneamento e de operações urbanas - e não há prazo para a discussão.

Posse. Sem contar com a presença da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (que não havia confirmado a presença até ontem), o advogado, professor universitário e ex-ministro da Educação Fernando Haddad, de 49 anos, será empossado hoje, às 15 horas na Câmara Municipal. Em seu discurso no Legislativo, deverá apresentar as principais linhas de gestão - o plano de Metas, com as diretrizes uma por uma, só deverá ser apresentado em março.

Em seguida, Haddad vai para o prédio da Prefeitura, no Viaduto do Chá, onde, segundo a assessoria do novo prefeito, ocorre a cerimônia de troca de faixa, com a presença do prefeito Gilberto Kassab (PSD). O discurso da posse vai ocorrer na Prefeitura, onde o prefeito deve também tirar a foto tradicional com seus 26 secretários.

Enquanto ocorre a cerimônia de transferência de faixa na Prefeitura, os 55 vereadores da próxima legislatura da Câmara Municipal já começam a votação para decidir quem deve substituir Police Neto (PSD) na presidência da Casa. A expectativa é de que não haja surpresas e o vereador José Américo (PT) seja escolhido para o cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.