Haddad evita embate com o governo do Estado sobre ação na Cracolândia

Prefeito, que na véspera havia classificado operação do Denarc de 'lamentável', disse que a PM é grande parceira na região

Artur Rodrigues e Beatriz Bulla, O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2014 | 13h56

SÃO PAULO - Um dia depois de ter classificado como "lamentável" a ação da Polícia Civil na região da Cracolândia e ter se mostrado indignado, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), baixou o tom nesta sexta-feira, 24, e evitou declarações que gerassem um embate com o governo estadual. Ao falar com jornalistas após inaugurar um ponto de internet pública no Pateo do Collegio, centro da capital, o prefeito disse que o esforço da Prefeitura será para retomar a operação Braços Abertos. Haddad elogiou o trabalho da Polícia Militar do Estado, que chamou de "grande parceira". A operação que deixou três policiais e dois dependentes feridos foi testemunhada pelo Estado e adiantada no portal Estadao.com.

"Já me manifestei. Nosso objetivo agora é retomar o programa como ele foi concebido", disse Haddad. Ele lembrou que esta sexta-feira é o primeiro dia de pagamento para os dependentes que aderiram ao programa e começaram a trabalhar. "Nossa obsessão vai ser retomar o projeto e inclusive com o apoio do governo do Estado", disse.

 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) não se manifestou sobre o assunto na quinta-feira, deixando o pronunciamento a cargo do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), o responsável pela operação. Hoje, questionado sobre a conversa que teve com o governador na quinta, Haddad se esquivou: "A reação foi boa".

"A própria Polícia Militar atuou no sentido de acalmar as pessoas, é preciso reconhecer isso. A PM foi e tem sido grande parceira", ressaltou Haddad.

O trabalho da Prefeitura na região da cracolândia continua também com o trabalho de motivar novamente os agentes de saúde e assistência social, que, segundo Haddad, ficaram "abalados com o bombardeio". "Pode espernear, nós vamos fazer o programa acontecer", indicou.

Ele se declarou confiante com a retomada do trabalho e, mais uma vez, destacou a parceria com a PM, dizendo que os policiais militares estão atuando conforme combinado na região.

Mais conteúdo sobre:
CracolândiaFernando Haddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.