Haddad e PT atacam a gestão estadual

Partido reforça que há 'apagão' nos trens; PSDB reclama de uso político de tragédia

O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2012 | 07h44

O PT responsabilizou a atual gestão estadual pelos problemas verificados no metrô paulistano. Em resposta, o PSDB afirmou que a oposição mantém a "velha tática do quanto pior melhor", em vez de se solidarizar com a população.

O presidente nacional petista, Rui Falcão, disse que o acidente na Linha 3 causou "caos" em São Paulo. Ele também aproveitou para destacar o mote da campanha do pré-candidato Fernando Haddad, que defende o "combate ao apagão nos transportes".

Já Haddad comentou, por meio de nota, que a colisão dos dois trens "não foi um fato isolado". "Vale lembrar o mesmo do caso da cratera de Pinheiros, em 2007. Não foi um acidente. Tivemos pessoas indiciadas por homicídio culposo", lembrou. "Além da expansão lenta, a manutenção das redes apresenta um quadro muito preocupante e, há três meses, tenho conversado com técnicos do Metrô que falam sobre o problema."

Para o pré-candidato petista, a falta de investimentos no transporte na capital é uma das possíveis causas do acidente: ele apontou que os governos do PSDB não vêm investindo de forma adequada tanto na manutenção quanto na expansão das redes de Metrô e CPTM. Na sequência, a liderança da Bancada do PT na Assembleia divulgou comparação entre o balanço do Metrô e o Orçamento do Estado, alegando que deixaram de ser utilizados cerca de R$ 208 milhões na modernização da rede em 2011 - o que representa 31% do orçado.

À noite, o PSDB replicou, em nota assinada pelos deputados Pedro Tobias, presidente do Diretório Estadual, e Julio Semeghini, do Diretório Municipal, destacando que o Estado investe pesadamente no Metrô, "em nível só comparado ao da China". "É lamentável que o PT utilize um acidente para fazer política partidária e atacar o governo com inverdades. Em vez de se solidarizar com a população paulista, utiliza de falácias para tentar alavancar seu candidato à Prefeitura. É a velha tática petista do 'quanto pior melhor'."

Outros partidos. Entre os demais partidos, o PPS, que integra a base de apoio estadual, lamentou o incidente, pelo Twitter, mas evitou buscar responsáveis. "Nossa solidariedade às vítimas, fora centenas que passaram susto e milhares afetados pelo caos!" O mesmo fez o perfil do PSD de São Paulo, partido de Gilberto Kassab, que pediu "solidariedade aos trabalhadores".

Já Carlos Giannazi, do PSOL, protocolou requerimento na Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia, exigindo a convocação dos presidentes do Metrô e da CPTM e do secretário dos Transportes Metropolitanos para explicarem "a crise na malha de transportes sobre trilhos". /GUILHERME WALTENBERG e DENIZE GUEDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.