Haddad diz que servidora que acusou secretário faz parte da quadrilha

Para o prefeito, a auditora fiscal que afirmou que petista Antonio Donato recebeu dinheiro de quadrilha quer tumultuar investigações

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

06 Novembro 2013 | 11h03

 SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou nesta quarta-feira, 6, que a auditora fiscal Paula Sayuri Nagamati, que acusou o secretário municipal de Governo, Antonio Donato, de receber dinheiro do grupo que fraudava o Imposto Sobre Serviços (ISS), faz parte do núcleo da quadrilha. 

"Não vamos nos enganar. Tanto no caso da Vanessa (Alcântara, ex-companheira de um dos suspeitos) quanto no caso da Paula são do núcleo da quadrilha", disse Haddad. De acordo com ele, "esses agregados (da quadrilha) também têm interesse em tumultuar o processo e no caso dela é mais grave, porque ela era chefe do gabinete do ex-secretário de Finanças (Mauro Ricardo) e tem uma relação de muita proximidade com o Ronilson (Rodrigues, suspeito de chefiar a quadrilha)". 

Ela prestou depoimento ao Ministério Público no dia 31. Declarou que ouviu de Rodrigues que o grupo “apoiou a campanha” de Donato a vereador, financiada “com dinheiro, fruto da fiscalização”. Donato afirmou à coluna Direto da Fonte, publicada nesta quarta, não ter recebido dinheiro dos servidores nem intercedido em favor deles. E atribui as “infundadas acusações” a um “movimento articulado” para atingir Haddad. “Minha postura tem sido a de colaborar, não vamos recuar na investigação.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.