Haddad diz que quer aumentar proporção de lixo reciclado para 10%

A coleta seletiva na capital vem sofrendo atrasos desde de dezembro, segundo concessionárias; patamar atual é de 1,2%

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

10 Janeiro 2013 | 13h07

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou na quarta-feira, 9, que quer aumentar a proporção de lixo reciclado em São Paulo para 10%. Atualmente, a média de lixo que chega às centrais de triagem é de 1,2%. O bairro que mais recicla na cidade, a Vila Mariana, na zona sul, chega a 4,95%. 

"Oito anos atrás, a administração de São Paulo diferiu, adiou o investimento em coleta seletiva. Vamos retomar os investimentos para antecipar aquilo que já deveria ter sido feito", disse Haddad. 
A coleta seletiva na capital vem sofrendo atrasos desde de dezembro, segundo concessionárias que realizam o serviço na cidade. As centrais de triagem, que recebem o material, estão lotadas e algumas delas ainda pararam para a folga de fim de ano. 

As afirmações do prefeito foram feitas em encontro com o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), no segundo campus da Universidade Federal do ABC (UFABC). Um dos principais assuntos do encontro foi o pedido pelo prefeito de São Bernardo para que a capital ceda um terreno ao governo do Estado, para a construção do Piscinão Jaboticabal. "O Marinho pediu para a gente retornar isso que está parado", diz. 

O problema ajudaria a resolver as enchentes no KM 10 da Rodovia Anchieta.

Mais conteúdo sobre:
coleta, lixo, reciclagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.