Haddad confirma que PP de Maluf terá uma secretaria

Pela primeira vez, o prefeito eleito Fernando Haddad (PT) confirmou publicamente ontem que o PP, do ex-prefeito Paulo Maluf, integrará o governo e ganhará uma secretaria. Indagado sobre se essa indicação seria para Habitação, Haddad desconversou. "É uma possibilidade, mas há outras." Disse só que negocia nomes com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro. A afirmação foi feita durante o anúncio de sete novos secretários - até agora, 14 nomes já foram definidos, de um total de 27.

ADRIANA FERRAZ, O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2012 | 02h04

O Estado apurou que pelo menos três integrantes do PP já estão cotados, entre eles o secretário-geral em São Paulo, Jesse Ribeiro. O comando da Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab) também deve ficar com o partido, apesar dos protestos de movimentos sociais, que chegaram a divulgar carta aberta contra a possível participação de aliados de Maluf na pasta que movimenta R$ 1 bilhão por ano.

O documento é assinado pelas principais associações de defesa da moradia e serve, segundo elas, para tornar público o sentimento de repúdio com a possibilidade de o PP participar do desenvolvimento de políticas habitacionais em São Paulo. Questionado sobre a polêmica, Haddad disse que ela não procede.

O futuro prefeito optou por ressaltar a importância de formar um governo de coalizão. Segundo ele, seria ilusório pensar que apenas o PT conseguirá sozinho liderar uma "mudança tão expressiva" na cidade.

Ao anunciar o vereador Chico Macena (PT) como futuro secretário de Coordenação das Subprefeituras, Haddad afirmou que o modelo de gestão a ser desenvolvido será inédito em São Paulo. Ele disse que espera receber as indicações dos 31 ou 32 subprefeitos em dezembro - uma nova regional deve ser criada em Sapopemba, na zona leste. A escolha deverá seguir três regras: o escolhido deverá morar no território, ter capacidade técnica e trabalhar em harmonia com o plano de governo.

De fora. Ontem, também foi confirmada a recusa de Cleuza Repulho, convidada para assumir a Educação. A pedagoga ocupa o cargo em São Bernardo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.