Haddad ajuda a grafitar muro apagado por universitários em SP

Produzido durante festival, mural trazia trabalhos de diversos artistas, mas foi substituído para divulgação de evento da USP

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

02 de novembro de 2014 | 18h39

 SÃO PAULO - O túnel José Roberto Melhem, no cruzamento da Avenida Rebouças com a Avenida Paulista, está sendo novamente grafitado depois que alunos de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) apagaram o desenho que existia ali para divulgar um evento universitário.

 

Produzido durante um festival de direitos humanos em 2013, o mural trazia o trabalho de diversos artistas. Para recuperar os desenhos, grafiteiros trabalham desde o entardecer de sábado, 1°, em um novo mural. A ação aconteceria até a noite deste domingo.

 

O prefeito Fernando Haddad também participou da iniciativa neste domingo e desenhou um Pato Donald no mural, divertindo os presentes. A mulher dele registrou o momento no Facebook.

 

 

Impasse. A Prefeitura se reuniu no dia 10 de outubro com grafiteiros e alunos do curso de medicina da USP para encontrar uma solução para o mural. Após a reunião, os universitários haviam se responsabilizado por repintar o muro para prepará-lo para uma nova intervenção artística, além de arcar com todos os custos do novo grafite. Eles ainda se comprometeram a não pintar em cima do mural nos próximos anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Fernando HaddadSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.