Haddad abre consulta de R$ 1 bi para corredores

Haddad abre consulta de R$ 1 bi para corredores

Um ano depois de o TCM barrar licitações, prefeito publica novas concorrências para a construção de 60 km de vias para ônibus

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2014 | 21h59

Um ano após o Tribunal de Contas do Município (TCM) barrar a licitação para a construção de 126 quilômetros de corredores de ônibus, o prefeito Fernando Haddad (PT) decidiu abrir quatro novas concorrências para tentar tirar do papel parte do projeto original. Estimada em mais de R$ 1 bilhão, a consulta pública prevê a construção de 60 quilômetros de vias rápidas para coletivos na cidade de São Paulo.

A concorrência foi publicada no Diário Oficial da Cidade de sábado. O objetivo da Secretaria Municipal dos Transportes é iniciar as obras até março do próximo ano. As vias exclusivas passarão pelas Avenidas 23 de Maio, Radial Leste, dos Bandeirantes, Teotônio Vilela, Atlântica, Salim Farah Maluf e Professor Luiz Ignacio Anhaia Melo. As vias vão contemplar 48% do total previsto de corredores do Plano de Metas 2013-2016.


O projeto para a construção dos corredores de ônibus estava paralisado desde janeiro, quando o presidente do TCM, Edson Simões, barrou a concorrência aberta no fim do ano passado. A previsão de investimento era de R$ 4,4 bilhões. Na época, Simões apontou a falta de recursos suficientes para custear as obras e de projeto básico como motivos para embasar a decisão. O governo decidiu refazer o projeto original e priorizar somente trechos considerados essenciais, em vias com grande fluxo de coletivos.

A nova concorrência prevê somente a construção de corredores rápidos para ônibus, chamados BRTs (transporte rápido de ônibus, na sigla em inglês), divididos em quatro lotes. 

Atualmente, 37 quilômetros de vias exclusivas também estão em construção, licitadas em 2012, durante a gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). Entre as obras em andamento estão os corredores da Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini, na zona sul, e a reforma do corredor da Avenida Inajar de Souza, na zona norte.

No novo lote de obras também estão previstos corredores em vias localizadas no extremo da zona leste, interligando as regiões do Itaim Paulista e de São Mateus. As faixas exclusivas serão criadas em estradas urbanas cercadas de habitações precárias e com poucos pontos de ônibus, como na Estrada Dom José Nery, na Estrada do Lajeado Velho e na Estrada do Iguatemi. Na Radial Leste, os novos corredores serão construídos ao longo de 3,4 quilômetros da via até Guaianases, atualmente em obras.

O governo federal já garantiu a verba para esses quatro lotes - em setembro foram liberados R$ 487 milhões para o BRT Perimetral Bandeirantes-Salim Farah Maluf (16 km) e mais R$ 529 milhões para a extensão Itaim Paulista-São Mateus.

Escolas. A Prefeitura de São Paulo também abriu consulta pública para a construção de mais 20 Centros Educacionais Unificados (CEUs). Mas, diferentemente das unidades erguidas durante a gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT), as escolas planejadas pelo atual governo serão menores - a maior parte das obras será feita em clubes do Município.

Tudo o que sabemos sobre:
CorredoresHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.