Nilton Fukuda/AE-27/6/2011
Nilton Fukuda/AE-27/6/2011

Hacker invade e usa e-mail de Kassab

Japonês Raul, que também violou o Twitter de Serra em julho, disparou mensagem com críticas à saúde pública e à conservação de ruas

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2011 | 00h00

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (sem partido), foi vítima de invasão de sua conta de e-mail ontem por um hacker, que aproveitou para divulgar uma mensagem com críticas à administração municipal. O texto foi encaminhado a diferentes destinatários, entre eles vários jornalistas, por volta das 12h.

O ato foi uma forma de protestar "em nome da população de São Paulo", segundo o hacker, que se autointitula Japonês Raul (Japon3sR4ul). Ele citou a decadência e o descaso com a saúde pública, o mau estado de ruas e calçadas e criticou ainda a destinação de dinheiro público para a construção do futuro estádio do Corinthians - a Prefeitura vai conceder R$ 420 milhões em incentivos fiscais para a construção do estádio, em Itaquera.

"Politicamente, Kassab está ganhando muitos eleitores na construção desse estádio", afirmou o hacker no e-mail. Ele disse ainda: "O sr. prefeito de São Paulo não está fazendo bem para São Paulo, não é cumpridor de suas promessas eleitorais, disse que não ia aumentar as passagens do transporte coletivo e aumentou." O hacker é o mesmo que invadiu o Twitter de José Serra (PSDB), em julho.

Durante a invasão ao e-mail de Kassab, o hacker postou em seu perfil no Twitter que copiara o conteúdo da conta de e-mail do prefeito. À tarde, postou uma foto com a interface da caixa de entrada de Kassab, revelando remetentes e temas seguidos por meio de alertas, como o partido que pretende criar, o PSD.

Indignação. Kassab divulgou nota oficial à tarde informando que estava indignado com a situação. "É lamentável que algumas pessoas se utilizem de ações criminosas como essa para se manifestar anonimamente. Vivemos no Brasil uma democracia saudável, construída com muita determinação por todos os brasileiros e na qual são garantidos espaços para o debate de opiniões e de pensamentos ideológicos", afirmou.

Kassab avaliou que a atitude foi um "grande desrespeito às instituições do País e aos brasileiros" e informou que buscará seus direitos para responsabilizar o hacker.

Segundo o pesquisador do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio, Luiz Moncau, a atitude se enquadra em crime de violação de correspondência, cuja pena é de 1 a 6 meses de prisão. Ainda não há uma lei que especifique esse crime para a internet, mas ela pode ser aplicada no âmbito virtual. A reportagem tentou, sem sucesso, contatar o portal Terra, provedor do e-mail de Kassab.

Recorrente. A invasão do e-mail do prefeito e do Twitter de Serra mostra um fenômeno que tem se tornado comum. Em 30 de junho, o Ministério da Justiça informou que investiga invasão do e-mail da presidente Dilma Rousseff (PT).

TRECHOS

"Estou aqui dentro do e-mail do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, como forma de protestar em nome da população de São Paulo...

...O descaso com a saúde, decadência na saúde pública, na zona leste, zona norte, zona sul, zona oeste...

...Detestei saber que foi utilizado dinheiro público para construção de um estádio, o famoso "Itaquerão", muito dinheiro público, e dizem que "investimento" gera "investimento", então se não fosse essa "obra", a população ficaria como está? Mais ou menos 10 anos atrasada?...

...O estado perdeu controle dos jovens, perdeu para o crime, que é quem cuida, quem olha, quem dá oportunidade de "sobrevivência" para os jovens, porque aonde o estado não vai, a prefeitura não vai, o crime vai"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.