Há risco de deslizamentos em 8 regiões da capital

"Cada bloco desse aí dói como se fosse uma facada. Tem história aí", afirmou ontem Ednaldo Santana Bezerra, enquanto via agentes da Defesa Civil demolirem a casa construída por ele sobre o córrego da Favela 1010, no Butantã, zona oeste de São Paulo. A estrutura foi afetada pela chuva. Os bairros desta e de outras sete subprefeituras (São Mateus, Jaçanã, Casa Verde, Pirituba, Ipiranga, M"Boi Mirim e Lapa) estão em estado de alerta por risco de deslizamentos, segundo lista de ontem da Defesa Civil.

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

07 Janeiro 2011 | 00h00

Chove ininterruptamente na capital desde o primeiro dia do ano. Às 13 horas de ontem, o índice pluviométrico deste mês atingiu 108,4 milímetros, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). O volume corresponde a 45% do esperado para todo o mês. E a previsão para os próximos dias é de mais pancadas de chuva, sobretudo no período da tarde.

A sequência de dias chuvosos encharcou o solo dos oito distritos. A possibilidade de deslizamentos em encostas é maior nessas regiões. A partir do alerta de atenção, os núcleos de Defesa Civil de cada subprefeitura passam a percorrer as áreas de risco. De segunda até as 18 horas de quarta-feira, foram efetuadas 64 vistorias. Cerca de 20% delas implicaram em interdições com a remoção de moradores. Somente o Butantã concentra 24 favelas com moradias erguidas em pontos de risco. A 1010 é uma delas. "Estamos conscientes de que estamos na área de risco", observou Bezerra, de 37 anos. "Mas vamos fazer o quê?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.