Há propostas de campanha de Kassab que não estão na agenda

Parte das obras de mobilidade urbana em parceria com o Estado não estão no plano de metas Agenda 2012

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

28 Março 2009 | 02h00

Algumas das bandeiras de campanha do prefeito Gilberto Kassab (DEM) não poderão ter a execução das obras acompanhadas pela população. Parte das obras de mobilidade urbana em parceria com o Estado, citadas no programa de campanha lançado em setembro do ano passado, não estão no plano de metas, a Agenda 2012.

 

Veja também:

lista Confira as metas culturais até 2012 da Prefeitura de SP

lista Confira as metas sociais até 2012 da Prefeitura de SP

lista Confira as metas sustentáveis até 2012 da Prefeitura de SP

especialEu prometo: relembre as promessas eleitorais de Kassab

 

 

A Nova Marginal do Tietê, por exemplo, com a previsão de alargamento da pista local e construção de pista auxiliar no trecho entre a Rodovia dos Bandeirantes e a Ponte do Tatuapé, estava no item "Transportes" do programa de governo, mas não consta no plano de metas, apesar de o projeto de R$ 1 bilhão, em parceria com o Estado, já ter o aval de órgãos ambientais.

 

Na aprovação do projeto pela Secretaria do Meio Ambiente só foram exigidas algumas contrapartidas ambientais, como a criação de um corredor verde entre o Tietê e as pistas. A Lei Orgânica do Município, por sua vez, define que o plano de metas terá diretrizes quantitativas de acordo com o que foi apresentado na campanha.

 

O plano de metas também não contempla a proposta divulgada pelo então candidato Kassab, até mesmo em dois debates que foram televisionados, de construir garagens subterrâneas na região central, proposta que segue emperrada há três gestões, desde 1999. Os últimos quatro prefeitos (Celso Pitta, Marta Suplicy, José Serra e Kassab, em sua primeira gestão) repetiram a promessa das garagens, mas a licitação em andamento na Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) desde 2005 nunca foi concluída.

 

O governo, contudo, informou ter outro plano nessa área, que prevê a construção de garagens na parte superior das futuras estações da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô). O novo projeto, entretanto, não foi citado no plano.

 

MOTOS

 

Outras duas promessas feitas no programa de governo não foram citadas no plano de metas: a conclusão do trecho sul da Avenida Jacu-Pêssego, integrando a Via Dutra à zona leste e ao ABC paulista, e a implementação de bicicletários em "pontos-chave do sistema de transportes."

 

O projeto de prolongamento da Jacu-Pêssego está atrasado em três anos. Por outro lado, Kassab apontou no plano de metas o objetivo de viabilizar oito novas faixas exclusivas para motos na capital. Durante a campanha e no programa de governo, contudo, o prefeito não tocou no assunto.

 

No início do ano passado, o governo tentou, sem sucesso, implementar uma faixa exclusiva de motos na Avenida 23 de Maio. A experiência foi abandonada em uma semana, após os congestionamentos aumentarem no corredor norte-sul. Em relação aos novos terminais de ônibus, a proposta apresentada na campanha, de "pelo menos oito novos corredores", saltou para 13 terminais durante a confecção do plano de metas.

Mais conteúdo sobre:
Gilberto KassabSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.