Há nomes e até ritmos para todos os gostos

Em um carnaval com tantas opções, quem estiver no Rio poderá divertir-se em blocos com nomes excêntricos como Só o Cume Interessa, desfilar ao som de música sertaneja com arranjos de samba do Chora, Me Liga e desafiar a prefeitura no Boi Tolo, que não pediu autorização para tomar as ruas.

, O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2011 | 00h00

Neste ano, são mais de 500 grupos espalhados pela cidade durante quase um mês. A popularização da festa e a multiplicação dos blocos nos últimos dez anos abriram espaço para o surgimento dos extravagantes Butano na Bureta, É Pequeno, Mas Vai Crescer, Galinha do Meio-dia, Largo do Machado, mas não Largo do Copo, O Pluto é Filho da Pluta, Virilha da Minhoca, É de Pirarucu, É mole, mas é Meu e muitos outros.

Na tentativa de conseguir destaque diante de uma agenda lotada, muitos blocos também passaram a apostar na mistura do samba com ritmos que variam do big band ao maracatu. Entre as opções, estão canções dos Beatles no Sargento Pimenta e o Clube dos Corações Solitários e música brega no Fogo e Paixão.

A prefeitura mantém um guia com os locais e horários dos blocos do Rio (http://rioguiaoficial.com.br/). As próprias autoridades admitem que não será surpresa se pequenos grupos não registrados forem encontrados pela cidade, mas alertam que blocos grandes, com carros de som e prejuízos ao trânsito, devem ser interrompidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.