Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Há dois dias sem chuva, Cantareira se mantém estável em 11,7%

Sistemas Alto Tietê, Guarapiranga e Rio Claro tiveram aumento no volume de água nesta terça; Alto Cotia e Rio Grande estabilizaram

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

03 de março de 2015 | 09h24

SÃO PAULO - Há dois dias sem chover sobre a região, o Sistema Cantareira, principal manancial de São Paulo, se manteve estável nesta terça-feira, 3, segundo boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Apesar de também registrar baixa pluviometria, o volume armazenado de água subiu em outros três sistemas.

Responsável por abastecer 6,5 milhões de pessoas, o Cantareira permanece com 11,7% da sua capacidade - mesmo índice do dia anterior. Nenhum milímetro de chuva foi registrado pela Sabesp nas últimas 48 horas. Na soma dos três primeiros dias, foram apenas 2,1 milímetros. Proporcionalmente, o número representa 12,2% do volume esperado, caso a média histórica de março, de 5,7 milímetros por dia, estivesse se repetindo.

Há mais de um mês, no entanto, os reservatórios que compõem o sistema não registram queda. A última aconteceu no dia 1º de fevereiro, quando o nível do Cantareira desceu 0,1 ponto porcentual, de 5,1% para 5% - já considerando duas cotas de volume morto, de 182,5 bilhões de litros e 105 bilhões, adicionadas no ano passado. Comparado ao primeiro dia do ano, quando estava com 7,2% da capacidade, o volume de água represada cresceu 4,5 pontos porcentuais.

Outros mananciais. O nível dos Sistemas Alto Tietê, Guarapiranga e Rio Claro registraram aumento nesta terça-feira. Já o volume armazenado de água no Alto Cotia e no Rio Grande se manteve estável. Nenhum dos seis mananciais teve chuva significativa. O único em que houve algum acúmulo de água pluvial foi no Alto Tietê, com 0,1 mm.

Em termos proporcionais, a maior alto foi do Guarapiranga, que subiu 0,5 ponto porcentual. O reservatório, que atende 4,9 milhões de pessoas, opera com 62,8% da capacidade, ante 62,3% no dia anterior.

Já o Alto Tietê, que abastece 4,5 milhões de habitantes, subiu 0,1 ponto porcentual, passando de 18,8% para 18,9%, e chegou à terceira alta consecutiva. O atual cálculo da Sabesp para a capacidade do manancial leva em conta 39,4 bilhões de litros do volume morto. Mesmo aumento sofreu o Rio Claro, que subiu de 38,3% para 38,4%.

Assim como o Cantareira, os Sistemas Rio Grande e Alto Cotia, que juntos atendem 1,6 milhão de pessoas, permaneceram com o mesmo volume do dia anterior. Enquanto o primeiro está com 85,7% da capacidade, o segundo continua com 40,9%.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise da ÁguaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.