TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Há 11 dias, Ceagesp foi tirada do plano de desestatização

Companhia poderá receber recursos públicos, negociar ativos ou firmar um contrato de concessão de uso com a iniciativa privada

Victor Martins, O Estado de S. Paulo

31 de março de 2015 | 03h00


BRASÍLIA - Há 11 dias, o governo deu mais um passo no sentido de facilitar a transição de local da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e excluiu a empresa do Programa Nacional de Desestatização (PND). A companhia estava nessa lista desde 1997, quando a empresa foi transferida para a União. Com a saída do programa de desestatização, a Ceagesp poderá receber recursos públicos, negociar ativos ou firmar um contrato de concessão de uso com a iniciativa privada. Desde 2013, a companhia esperava uma resposta da presidente Dilma Rousseff sobre a desestatização, o que só aconteceu dia 19.

O entreposto é a principal central de abastecimento do País e movimenta por dia cerca de 250 mil toneladas de frutas, legumes, verduras, pescados e flores, entre outros produtos importantes para o abastecimento de feiras e mercados. Ele é considerado ainda o maior da América Latina e o terceiro centro de comercialização atacadista de perecíveis do mundo, atrás apenas de Paris e Nova York.

Mais conteúdo sobre:
São PauloCeagesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.