Guarulhos: 12 vereadores são denunciados

Formação de quadrilha, falsificação de documentos, falsidade ideológica, duplicatas falsas e peculato (apropriar-se de bem público). É longa a lista de crimes que o Ministério Público diz que mais de um terço dos 34 vereadores de Guarulhos, na Grande São Paulo, cometeu no esquema de fraudes com notas fiscais frias que desviou R$ 584 mil da Câmara Municipal. Três secretários da prefeitura, da gestão de Sebastião Almeida (PT), também teriam participado do esquema quando eram vereadores.

Bruno Tavares e Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2010 | 00h00

Esses crimes, com penas que chegam a 28 anos de prisão, constam da denúncia feita ontem pela promotoria contra 12 vereadores, três secretários, dois ex-vereadores e um empresário. Entre os acusados estão o presidente da Câmara, Alan Neto, e os secretários de Esportes, Edivaldo Moreira Barros, e de Assistência Social, Ulisses Correia, além do secretário-adjunto de Segurança Municipal, Marcelo de Oliveira. Todos negam os crimes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.