Guarujá: 10% mais roubos no 1º semestre

Até a jogadora de basquete Hortência já foi vítima de criminosos perto do túnel da Vila Zilda

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2010 | 00h00

Quinze motoristas foram assaltados neste ano próximo do túnel da Vila Zilda, no Guarujá, Baixada Santista, segundo a PM. O trecho é a principal ligação para áreas nobres, como as Praias da Enseada e Mar Casado e Jardim Acapulco. A vítima mais recente foi a ex-jogadora de basquete Hortência. Na sexta, sete menores interceptaram o Mercedes da ex-atleta. Ninguém foi preso.

Dados estatísticos divulgados no site da Secretaria da Segurança Pública (SSP) mostram que, de janeiro a junho deste ano, o número de roubos subiu 10% no Guarujá em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 1.308 casos em 2009 e 1.440 em 2010. Na mesma região também já foi vítima o jogador Pelé, em 2008.

Hortência pretendia passar o fim de semana na praia. Ela estava com uma funcionária quando seu carro foi cercado, às 14 horas, a 200 metros do túnel. Foram levados da jogadora a câmera fotográfica, um relógio, um rádio e a bolsa com documentos e cartões. "Eu estava sem meu carro blindado e o trânsito estava lento. Eles (menores) puseram uma bicicleta na frente, como se fossem atravessar. Depois tinha um com uma arma apontada para mim e outro mirando a minha empregada", diz.

A ex-atleta disse que logo em seguida outras pessoas abriram as portas do carro e começaram a levar tudo. "Tiraram até meu relógio. A única coisa que doeu foi que na máquina tinha foto da seleção brasileira na Europa e o Sul-americano no Chile", lamentou Hortência, que ontem estava providenciando o RG em um Poupatempo da capital. "Eu adoro o Guarujá, mas ultimamente está complicado. Quando eu cheguei à delegacia tinha gente chorando, por causa de assaltos na cidade. Eu ouvi que ali é ponto conhecido por roubo. Só que não se vê mudança."

O delegado titular do Guarujá, Cláudio Rossi, por telefone, disse que no túnel ou no entorno não há assaltos, apesar dos números da PM.

O capitão Sebastião José de Oliveira, do 21.º Batalhão, relata que diversas ações são realizadas pela corporação no local onde Hortência foi pega. "De janeiro até agora foram 15 eventos no local, de ambos os lados, com dois flagrantes."

A prefeitura do Guarujá informou, por meio de nota, que "tem conhecimento que o efetivo da PM está abaixo do indispensável". A nota informa, ainda, que "recentemente, a Secretaria da Segurança Pública desenvolveu na área uma Operação Saturação". A PM nega que o efetivo esteja abaixo do necessário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.