Guardas civis e camelôs entram em confronto no centro de SP

Confusão começou durante apreensão de mercadorias irregulares; sete foram detidos e quatro ficaram feridos

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

08 Dezembro 2008 | 12h53

Um confronto entre vendedores ambulantes e guardas civis metropolitanos prejudicou ainda mais o movimento na região do Brás, no centro de São Paulo, no fim da manhã desta segunda-feira, 8. Seis camelôs e uma mulher, que segundo comunicado da GCM, "incintou os ambulantes a confrontarem os guardas", foram presos e logo após liberados. Quatro guardas, inclusive o inspetor chefe da base Mooca, ficaram feridos.   O conflito começou por volta do meio-dia, na região do Largo da Concórdia, quando os guardas faziam repressão aos camelôs irregulares. Tudo corria conforme o previsto, mas no momento em que os GCMs começaram a apreender as mercadorias e segundo o chefe da inspetoria da Mooca, Narciso Casimiro Filho, "esse foi o estopim".   Os detidos foram levados ao 12.º Distrito Policial para registro do boletim de ocorrência. Os guardas tiveram ferimentos leves e foram encaminhados para o pronto-socorro do Tatuapé.    Comerciantes fecharam as lojas durante confronto entre camelôs e guardas civis no Largo da Concórdia Foto: André Lessa/AE   Atualizado às 21h10 para acréscimo de informações

Mais conteúdo sobre:
Bráscamelôs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.