Epitacio Pessoa/AE
Epitacio Pessoa/AE

Guardador de carro é espancado em festa de casamento no interior de SP

Grupo de oito pessoas usou tijolos e paus contra vítima; briga começou após suposta discussão

José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo,

09 de novembro de 2010 | 11h39

SOROCABA - O guardador de carros Flávio Roque, de 39 anos, foi brutalmente espancado por um grupo de oito pessoas que saíam de uma festa de casamento, na madrugada de domingo, em Sorocaba, a 92 km de São Paulo. Os agressores, que estariam embriagados, usaram tijolos e paus contra a vítima e ainda pisaram sobre sua cabeça quando estava caída.

 

O homem teve traumatismo craniano, passou por três cirurgias e permanecia internado nesta terça-feira, 9, em coma, no centro cirúrgico do Hospital Regional de Sorocaba. Os médicos disseram à família que, se sobreviver, Flávio ficará com sequelas.

 

A festa era realizada num salão de eventos alugado, no Jardim Santa Fé, próximo do centro da cidade. Na saída, um dos participantes foi avisado de que um guardador menor de idade teria riscado seu carro. O rapaz e dois amigos passaram a agredir o menor, quando Flávio interveio. O grupo avançou contra o homem, que é franzino, e começou a espancá-lo. Flávio caiu e continuou sendo agredido. Um dos agressores quebrou um tijolo na cabeça da vítima.

 

Outros guardadores tentaram defender o colega e também apanharam - Marcelo Proença Carvalho foi atingido por um golpe de pau. "Foi um massacre", disse a advogada Juliana Torres, amiga da família. "Uma discussão banal virou um ato de selvageria."

 

Segundo ela, seguranças contratados para a festa assistiram o espancamento e nada fizeram. O guardador foi levado ao hospital pelo serviço de resgate do Corpo de Bombeiros. A Polícia Militar identificou quatro dos agressores, mas ninguém foi preso. Eles são moradores de Araçoiaba da Serra, cidade vizinha.

 

A Polícia Civil, que abriu inquérito, pretende ouvir os envolvidos esta semana. Também deve requisitar as fitas de câmeras instaladas no recinto, que podem ter gravado as agressões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.