Guarda-sol deixa de ter marca visível e ganha visual retrô

As praias cariocas receberam, desde sábado, guarda-sóis estilizados, com estampas criadas sob inspiração das paisagens locais pela designer Leila Fittipaldi. Com o custo de R$ 1,2 milhão, bancados por uma cervejaria, cerca de 40 mil sombreiros serão distribuídos para aluguel pelos barraqueiros da zona sul do Rio, entre o Flamengo e o Leblon.

O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2012 | 02h03

A intenção é diminuir a poluição visual da orla, reclamação constante de moradores e banhistas. Os sombreiros utilizados até o último verão eram vermelhos, cor alusiva à patrocinadora dos guarda-sóis. "Anteriormente, parecia que estávamos na Saara (tradicional reduto de compras carioca) ou na (Rua) 25 de Março, tamanha a poluição visual. Era agressivo", explica a designer responsável pelo projeto.

Agora, a marca dos patrocinadores ficará na parte interna dos sombreiros. As novas estampas ganharam cores pastel e desenhos que lembram os Arcos da Lapa e o Calçadão de Copacabana. Leveza e discrição foram as chaves para as estampas, que formam um mosaico retrô nas areias cariocas.

"As pessoas comentaram que as cores e formas resgatam a praia dos anos 1970. Não foi pensado, mas realmente traz a leveza desse tempo, quando não havia interferência na paisagem. A praia já é tão linda, não precisa de adorno. Pelo contrário, quanto menos melhor, por ela já oferecer o que há de bonito em seu cenário", afirma Leila. /A.P

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.