Guarda de fauna silvestre é terceirizada

Sem infraestrutura para receber e destinar animais silvestres apreendidos de posses ilegais, o Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) publicou anteontem uma resolução sobre o depósito e a guarda terceirizados desses animais.

GIOVANA GIRARDI, O Estado de S.Paulo

28 Junho 2013 | 02h03

Na prática, uma pessoa flagrada com um bicho silvestre poderá, após ser autuada por infração ambiental, ser provisoriamente sua depositária. Voluntários também poderão se candidatar a ter a guarda de animais.

A resolução remedia um problema: há poucos centros de triagem desses animais, assim como zoológicos ou criadouros que possam abrigá-los, quando não dá para devolvê-los à natureza. Para o Conselho Nacional de Medicina Veterinária, a medida pode favorecer o tráfico.

O capitão da Polícia Ambiental de São Paulo Marcelo Robis Nassaro, autor da proposta, defende que a resolução só traz regras para ações que já eram feitas antes e que visa a manter a vida desses animais. "Muitos morrem nas nossas mãos por não ter para onde ir." Leia mais em estadao.com.br/planeta

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.