Guarda-civil mata mulher com tiro em condomínio de Sorocaba

Após o crime, o acusado ligou para a portaria do prédio e pediu que a Polícia Militar fosse chamada

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2016 | 16h42

SOROCABA - O guarda-civil municipal Marcos Vinícius do Amaral, de 40 anos, matou a mulher com um tiro de pistola na noite de domingo, 4, no apartamento do casal, em um condomínio de Sorocaba, interior de São Paulo. Após o crime, o acusado ligou para a portaria do prédio e pediu que a Polícia Militar fosse chamada. Os policiais encontraram a vítima baleada na cabeça ao lado da cama, com a arma ao lado do corpo. Inicialmente, Amaral alegou que a mulher havia se suicidado, mas em seguida confessou o crime.

O agente trabalhava na Guarda Civil Municipal de Araçoiaba da Serra, cidade vizinha, e havia chegado com a mulher, Rosemeire Pereira da Silva, de 32 anos, momentos antes do crime. Os filhos do casal estavam na casa dos avós. Eles entraram no prédio abraçados e, pouco depois, os moradores ouviram o disparo. A arma e dois carregadores foram apreendidos para perícia. 

Os motivos do crime ainda estão sendo investigados. O GCM disse apenas que havia discutido com a mulher. Ele foi preso em flagrante e vai responder por homicídio doloso - com intenção de matar. A prefeitura de Araçoiaba da Serra informou que o guarda foi afastado.

Outro caso. Uma mulher de 46 anos morreu e seu companheiro ficou ferido depois de serem golpeados à faca pelo ex-marido dela, na noite de sábado, 3, em Araraquara, interior de São Paulo. O homem abordou o casal na Vila Xavier e, depois de uma rápida discussão, atacou os dois com a faca. Em seguida, o agressor fugiu e não tinha sido preso até a manhã desta segunda-feira, 5. O homem ferido continua internado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.