Google Street View
Google Street View

Guarda é assassinado ao chegar para fazer compras na região do Brás

Agente morava no interior de São Paulo e estava acompanhado da mulher - ela não se feriu; ninguém foi preso

Felipe Cordeiro, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2019 | 09h17

SÃO PAULO - Um guarda civil foi assassinado no Pari, na região central de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira, 16, ao chegar para fazer compras no bairro, que forma junto com o vizinho Brás um dos maiores centros de comércio popular do País. Ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 3h30, na Rua Conselheiro Dantas. O guarda trabalhava em Jundiaí, no interior paulista, e veio à capital acompanhado da mulher.

Ao descer do carro, dois criminosos anunciaram o assalto. O guarda teria reagido ao crime. Um dos homens atirou e atingiu a vítima. Sua mulher não se feriu.

O guarda foi socorrido e levado ao pronto-socorro da Santa Casa de Misericórdia, no centro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Assassinato de motorista de aplicativo

Na noite deste domingo, 16, Adriana Márcia de Almeida, 46 anos, foi morta com um tiro no pescoço enquanto trabalhava como motorista de aplicativo em Diadema, na região metropolitana de São Paulo. 

Por volta das 23 horas, Adriana atendeu a uma chamada no local. De acordo com o relato de testemunhas à polícia, quando duas mulheres entraram no carro, um homem armado abordou a vítima, que acelerou o veículo e foi atingida.

O crime aconteceu na Avenida Fundibem, na altura do número 935, no bairro Jardim Casa Grande. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.