Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

Grupos LGBT protestam contra terapia de reversão sexual

Centenas de pessoas se manifestaram na Avenida Paulista contra decisão de juiz que abriu brecha para terapia que tenta mudar orientação sexual das pessoas

O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2017 | 21h23

SÃO PAULO - Centenas de simpatizantes e grupos LGBT protestaram contra a liberação de terapia de reorientação sexual em ato na Avenida Paulista, na região central de São Paulo, na noite desta sexta-feira, 22.

O motivo do protesto foi a decisão do juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho, que concedeu liminar na segunda, 18, abrindo brecha para que psicólogos ofereçam terapia de reversão sexual para homossexuais, popularmente conhecida como “cura gay”. O tratamento é proibido Conselho Federal de Psicologia desde 1999. 

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os grupos LGBT se encontraram por volta das 17h no vão do Masp e o trânsito na Avenida Paulista foi parcialmente interrompido entre 18h e 19h. Os manifestantes seguiram depois para a Rua Augusta, Rua da Consolação e Largo do Arouche.

Diversos manifestantes levavam faixas com dizeres como "cure seu ódio" e "doente é o capitalismo". Alguns escreveram ainda que não há cura para quem não está doente. 

Em nota emitida na quinta-feira, 21, o juiz declarou que em nenhum momento "considerou ser a homossexualidade uma doença ou qualquer tipo de transtorno psíquico passível de tratamento”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.