Grupos de Barretos fazem moções contra demissão de delegado

Associação comrrcial e industrial vai protestar caso não receba resposta em relação a demissão de João Osinski

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2008 | 14h43

Diversas entidades de Barretos, na região de Ribeirão Preto, vão encaminhar na quarta-feira, 1º, moções e abaixo-assinados contra a exoneração do delegado seccional do município, João Osinski Júnior, ocorrido na semana passada, para o governador José Serra (PSDB), ao secretário de Segurança Pública, Ronaldo Marzagão, à Delegacia-Geral de Polícia e à Assembléia Legislativa. Se não conseguirem uma resposta satisfatória até a próxima segunda-feira, 6, o comércio barretense poderá se mobilizar e fazer um protesto, fechando entre 15 minutos e uma hora, segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial de Barretos (Acib), Luiz Carlos Marreta.   Veja também: Em greve, policiais civis de SP fazem passeata pelo Estado Marzagão diz que punirá abusos na greve da Polícia Civil Delegados do interior se mobilizam contra demissão de colega   "A sociedade barretense está chateada, pois outros delegados foram solidários à greve da Polícia Civil e nada aconteceu, e o Osinski acertou a nossa cidade", comentou Marreta. Ele diz que reconhece que delegados e policiais civis ganham pouco, mas que as moções e abaixo-assinados não são em favor da paralisação, mas em relação à exoneração do seccional. Além da Acib, cinco lojas maçônicas, Sindicato do Comércio Varejista, Câmara dos Diretores Lojistas, OAB secção de Barretos, três clubes sociais, clube Os Independentes (que organiza a tradicional Festa do Peão do município), clubes de serviços e várias empresas participaram da coleta de assinaturas com a população.   Osinski Júnior foi exonerado na semana passada. Em seu lugar, Odacir Cesário da Silva, titular do 2º. DP de Ribeirão Preto, aceitou ficar por um período até a determinação do novo seccional, o que ainda não ocorreu. Os policiais civis e delegados continuam em greve, atendendo as emergências e urgências. Um documento, não oficial e não remetido a autoridades superiores, foi assinado por 16 delegados da região (12 de Barretos), para demonstrar solidariedade da categoria em qualquer ato de retaliação à greve. No texto, escrito antes da exoneração de Osinski Júnior, os delegados disseram que seus cargos estariam à disposição. O documento só foi fixado numa delegacia da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.