Sérgio Neves/AE - 02/12/2008
Sérgio Neves/AE - 02/12/2008

Grupo rouba casa de secretário de José Serra nos Jardins

Quadrilha invadiu a casa do secretário Guilherme Afif Domingos em ação que durou 15 minutos

Eduardo Reina, O Estado de S. Paulo,

29 Agosto 2009 | 12h24

Uma quadrilha especializada em roubo de residências invadiu a casa do secretário Estadual do Emprego e Relações do Trabalho, Guilherme Afif Domingos, no Jardim Paulistano, zona sul de São Paulo, e levou três aparelhos celulares, dois laptops, algumas joias e bijuterias, além de dinheiro. A ação foi rápida, durou apenas 15 minutos, e segundo Afif estava planejada, pois os ladrões conheciam a rotina do local. "Como eles queriam levar um suposto cofre que achavam existir aqui, me ameaçaram dizendo que se eu não falasse onde estava o cofre iriam atacar a casa do meu filho. Deram até o endereço da casa. O assalto não foi aleatório", disse Afif.

 

Eram seis assaltantes dentro da casa do secretário na manhã de anteontem. Estavam bem vestidos, um deles trajava terno. "Eles usavam óculos escuros bem grandes para esconder o rosto. Um deles estava com máscara cirúrgica. Todos com gel no cabelo e muito educados", disse Silvia Maria, mulher de Afif. Fugiram depois que o segurança que trabalha na rua percebeu que o portão estava entreaberto e desconfiou da situação. "O segurança tocou a campainha. Eles se assustaram e falaram ‘sujou, sujou, vamos embora’. Saíram correndo", disse Silvia.

 

Para entrar na casa, o bando conseguiu ludibriar a cozinheira, que foi atender ao chamado da campainha. Disseram, segundo Afif, que era uma encomenda para o secretário. "Apesar de estar instruída para não abrir o portão para estranhos, nossa funcionária acreditou que o pacote grande que o homem de uniforme carregava estava muito pesado e ela não conseguiria carregar. Foi quando invadiram a casa."

 

Dentro do local estavam Afif, a mulher, um filho e dois empregados. Apenas o filho chegou a ser empurrado algumas vezes pelos ladrões, quando perguntavam sobre o suposto cofre. "Eles queriam dinheiro e joias. Eu não tenho muitas joias. O que tinha eu dei, inclusive bijuterias", falou Silvia.

A família acredita que os bandidos conheciam a rotina da casa. Tinham até mesmo a informação que haviam recebido encomendas recentemente. "Acho que sabiam que recebemos alguns pacotes, por causa do casamento de um dos meus filhos. Então, usaram o pretexto de entregar uma caixa para meu marido", disse Silvia. A polícia tenta identificar os envolvidos no roubo por meio de imagens captadas na rua por câmeras das casas vizinhas.

 

A região dos Jardins vem sofrendo vários assaltos desse tipo. No mesmo quarteirão da casa de Afif, há pouco tempo, uma residência foi invadida por um bando também à procura de dinheiro e cofre da família. O morador disse que não havia cofre na casa e os bandidos jogaram álcool no homem e chegaram a queimar parte do seu corpo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.