Grupo rouba caixa eletrônico em cidade do interior de São Paulo

Onze suspeitos foram presos e outro morreu atingido no peito durante troca de tiros

Chico Siqueira, Agência Estado

05 de abril de 2013 | 16h29

Um caminhão foi usado por uma quadrilha para transportar um caixa eletrônico, roubado nesta sexta-feira da agência do Banco do Brasil, de Auriflama, no interior de São Paulo. O grupo também explodiu caixas eletrônicos numa agência do Santander, levando uma quantia em dinheiro não divulgada, mas acabou preso e um dos seus integrantes morreu numa troca de tiros com a polícia.

Eram 3h40 da madrugada quando a quadrilha, formada por 12 ou mais homens, entrou na cidade e passou a disparar rajadas de metralhadoras para entrar nas duas agências. No Banco do Brasil, os ladrões arrancaram um dos caixas inteiro e o colocaram sobre a carroceria de um caminhão branco. No Santander, o bando explodiu alguns caixas eletrônicos para abri-los e retirar as notas.

A ação apavorou os moradores da cidadezinha de 15 mil habitantes, que acordaram assustados. "Primeiro, ouvi dois tiros, depois quatro e em seguida muitos tiros e uma explosão. Fiquei muito assustada", contou Antônia Cordeira, que mora perto dos bancos assaltados. Antes de fugir, os bandidos ainda fizeram disparos para o alto, para comemorar o assalto, fugindo em seguida.

Durante todo o dia, as polícias Militar e Civil realizaram diversas blitze nas cidades da região apoiadas pelo helicóptero Águia. Pela manhã, os policiais apreenderam dois carros usados no assalto e prenderam quatro suspeitos. E no começo da tarde a polícia localizou todos os outros integrantes do grupo. No total, 11 suspeitos foram presos e outro morreu atingido por um tiro no peito durante uma troca de tiros. A polícia também apreendeu o caminhão usado no assalto, que estava carregado com um volume não declarado de explosivos.

Mais conteúdo sobre:
roubocaixa eletrônico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.