Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Grupo protesta contra obra que removeu árvores na Radial Leste

Manifestantes encravaram cruzes de madeira em canteiro da via; Prefeitura diz que projeto prevê plantio compensatório de novas mudas

Juliana Domingos de Lima e Tiago Queiroz, O Estado de S. Paulo

01 de maio de 2015 | 18h28

SÃO PAULO - Um grupo de cerca de dez pessoas protestou na manhã desta sexta, 1º, contra uma obra da Prefeitura na Radial Leste, próximo ao Parque Dom Pedro, que causou a remoção de aproximadamente mil árvores. A ação, que consistiu em encravar cruzes de madeira no canteiro do início da via, partiu do grupo Muda Mooca, coletivo de plantio de árvores que atua principalmente no bairro que lhe dá nome, mas também em outras partes da cidade.

Por conta da construção de um túnel que ligará Radial Leste, Avenida do Estado e o Terminal Parque Dom Pedro, as árvores vêm sendo removidas desde o final de 2014. Indignados com a retirada das árvores, os ativistas decidiram fazer uma "manifestação diferente", como chamou Danilo Bifone, criador do Muda Mooca.

Apesar de considerar a construção do túnel destinado exclusivamente aos ônibus um motivo nobre, Bifone lamenta a remoção de árvores já plantadas. Argumenta ainda que a compensação prometida pela Prefeitura, de plantar sete árvores a cada uma cortada, é difícil de ser executada: "No total, seriam mais de 8 mil árvores. Dificilmente haverá lugar para plantar essa quantidade, mas nós vamos fiscalizar se vai ser cumprido". Bifone diz ainda que a informação que seria implementado um corredor de ônibus na região chegou com o corte das árvores, "da noite para o dia".


Procurada pelo Estado, a Secretaria Executiva de Comunicação da Prefeitura informou que o projeto do corredor foi revisto para minimizar o impacto ambiental das obras, "o que gerou a preservação de 1.242 árvores por meio do Termo de Compensação Ambiental 357/2014. Segundo a secretaria, O TCA prevê o plantio compensatório de 8.331 novas mudas, o corte de 1.037 árvores, a remoção de 37 exemplares mortos e o transplante de 89 exemplares.

Segundo o coletivo, a ação foi feita usando exclusivamente ripas de madeira que iriam para o descarte, cedidas porum artesão de móveis. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.