Grupo pagou R$ 1,6 milhão em propina para Aref e Aurélio Miguel, diz ex-diretora a jornal

Em entrevista à Folha, Daniela Gonzalez diz que dinheiro era para liberação de obras irregulares em shoppings; acusados negam

estadão.com.br

14 de junho de 2012 | 08h06

SÃO PAULO - A BGE (Brookfield Gestão de Empreendimentos), uma empresa do grupo Brookfield, pagou R$ 1,6 milhão em propina para Hussain Aref Saab, ex-diretor afastado do setor de aprovação de prédios da Prefeitura de São Paulo, e ao vereador Aurélio Miguel (PR). A afirmação é de Daniela Gonzalez, ex-diretora financeira da BGE, ligada ao grupo, e foi feita à Folha de S.Paulo desta quinta-feira.

A propina a Aref foi paga em diversos momentos, entre 2008 e 2010, para a liberação de obras irregulares nos shoppings Higienópolis e Paulista, segundo a ex-diretora disse à Folha. Aurélio Miguel, diz Daniela à reportagem, recebeu dinheiro para intermediar na CET as obras de ampliação do Pátio Paulista.

 

A assessoria do vereador Aurélio Miguel e o advogado de Hussain Aref Saab negaram as acusações. A Brookfield afirmou que não compactua com atos ilícitos, diz a reportagem.

Tudo o que sabemos sobre:
Aref

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.