Grupo marca presença antes das sessões e some

Dez parlamentares burlaram o regimento interno da Câmara, que prevê o registro a partir das 15h de terças, quartas e quintas-feiras

Adriana Ferraz e Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

08 Setembro 2014 | 02h04

SÃO PAULO - O regimento interno da Câmara Municipal prevê que os vereadores só registrem suas presenças nas sessões a partir das 15 horas de terças, quartas e quintas-feiras, quando são realizadas tradicionalmente as plenárias. Mas, em época de campanha, a pressa em cumprir compromissos leva parlamentares a burlarem a regra e assegurarem seus nomes no painel eletrônico antes do horário previsto.

Foi o que aconteceu no dia 4. O relógio ainda marcava 14h58, mas dez parlamentares já haviam confirmado presença. Netinho de Paula (PCdoB) está na lista. O comunista entrou no plenário 12 minutos antes das 15 horas, marcou presença e foi embora. Durante a sessão, que durou 1 hora e 50 minutos, ele não voltou ao plenário. Procurado, Netinho afirmou que estava em seu gabinete e retornaria ao plenário, caso houvesse votação, o que não aconteceu.

Já Dalton Silvano (PV) defendeu a possibilidade de marcar presença antes da sessão começar. No mesmo dia, o vereador assinalou seu nome às 14h57. "Há precedente regimental. Acontece isso há 30 anos na Casa", disse, lembrando que os vereadores também podem fazer o registro após o fim da sessão.

E não são poucos os que usam essa opção. Na quarta-feira, Senival Moura (PT) e Conte Lopes (PTB) chegaram após o fim da reunião plenária e garantiram presença. Ambos admitiram que durante a sessão estavam fora da Câmara. Moura estava na Secretaria Municipal dos Transportes e Lopes visitava um batalhão da Polícia Militar, um compromisso de campanha. "Não tem tido nada mesmo na Câmara e precisamos correr atrás dos votos", disse Conte, que é candidato a deputado federal.

Com menos vereadores nos gabinetes, o movimento de funcionários também diminui, especialmente nos escritórios das 14 lideranças partidárias, que não raramente ficam com as portas fechadas durante o expediente. Nas reuniões de comissões, a movimentação também diminuiu a ponto de algumas serem canceladas por falta de quórum - caso da Comissão de Política Urbana do dia 3.

A presidência da Câmara informou que sua determinação é para que o painel eletrônico seja aberto às 15 horas. Segundo ela, presenças podem ser registradas pelo microfone na sessão ordinária a partir das 14h30, desde que o vereador esteja no começo da sessão. Caso isso não ocorra, o nome deve ser retirado do painel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.