Grupo faz novo protesto contra reajuste da tarifa de ônibus em SP

Durante a tarde, um estudante, de 19 anos, foi preso com dois coquetéis molotov e duas bombas caseiras, que, segundo ele, seriam usadas durante a manifestação

Pedro da Rocha, Central de Notícias

24 Fevereiro 2011 | 18h10

SÃO PAULO - O Movimento Passe Livre (MPL) faz nesta quinta-feira, 24, nova manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus, de R$ 2,70 para R$ 3. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 17 horas os participantes estavam reunidos na Praça Ramos de Azevedo, na região central da capital. Segundo a CET, cerca de 350 pessoas participavam do ato.

 

Policiais militares detiveram, por volta das 15h30, um estudante, de 19 anos, com dois coquetéis molotov e duas bombas caseiras. Segundo a PM, ele confessou que iria utilizar o material durante a manifestação.

 

A PM disse ainda que o jovem se disse integrante do movimento punk. A apreensão ocorreu na Praça Ramos de Azevedo.

 

Outros protestos. Na última quinta-feira, 17, seis estudantes passaram o dia acorrentados às catracas do hall de entrada da Prefeitura, no centro, em sinal de protesto. No final da tarde, cerca de 400 manifestantes do Movimento Passe Livre que se concentravam em frente ao prédio entraram em choque com a Guarda Civil Metropolitana e Tropa de Choque da Polícia Militar.

 

Pelo menos dez pessoas ficaram feridas e os vereadores do PT José Américo Dias, Juliana Cardoso e Antonio Donato foram atingidos por gás de pimenta.

 

Em janeiro, outros protestos organizados pelo mesmo grupo conseguiram reunir até quatro mil pessoas no centro da cidade.

Mais conteúdo sobre:
protesto reajuste ônibus SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.