Grupo faz casal refém, ganha lanche e depois se entrega

Para se entregar, rapazes fizeram apenas uma única exigência: eles queriam aparecer na TV

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

05 de outubro de 2007 | 10h18

Um casal foi mantido refém por mais de quatro horas, dentro de casa, no Parque dos Pássaros, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Quatro rapazes, entre eles um menor de idade, renderam as vítimas no início da noite de quinta-feira e se entregaram à polícia apenas no início da madrugada desta sexta-feira, 5. Antes de se entregar, os infratores receberam tratamento "VIP" dos donos da casa: um lanche com direito a refrigerante, bolo e bolachas. A condição para que eles se entregassem, segundo os policiais, era de que pudessem aparecer na televisão, como garantia de que não seriam machucados nem mortos. Os idosos não foram machucados nem ameaçados. Durante o tempo em que ficaram na residência, o grupo revirou os cômodos, à procura de objetos de valor e dinheiro.  Equipamentos como televisão, computador, DVD e aparelho de som foram colocados na Towner verde do aposentado Reinaldo Antônio Arroio, de 62 anos, que trabalha como vendedor de cachorros-quentes. Arroio chegava em casa depois do trabalho, por volta das 20 horas de quinta-feira, quando foi rendido por um dos rapazes, que estava com um revólver calibre 38. "Estava para fechar o portão, quando ele me rendeu. Ele vinha sozinho na rua, nem imaginava que ocorreria um assalto." Depois, vieram os outros três.  Arroio foi levado para a sala. Lá, ficou deitado no chão e com uma arma apontada para a cabeça. "Moro aqui há 20 anos e é um bairro tranqüilo. Foram momentos de muita tensão, pois eles vêm prontos para qualquer coisa. Fiquei apavorado."  Além do aposentado, moram na casa a mulher dele e a filha, que não estavam quando o bando chegou. Cerca de 40 minutos depois, chegou a mulher dele, a costureira Edna Arroio, de 55 anos. "Vi que a casa estava escura, mas entrei. Eles mandaram que eu deitasse ao lado do meu marido, então fiquei lá", conta. No começo, ela, que é evangélica, ficou nervosa, mas depois o medo passou, porque o bando disse que não faria nada de mau ao casal. A polícia foi acionada e chegou ao local, na Avenida das Andorinhas, por volta das 21h30. Os policiais cercaram a rua e foram recebidos a bala. Houve uma rápida troca de tiros. Depois, começou a negociação, que terminou à 0h30, quando o bando se entregou. Além de policiais do 40º Batalhão, homens do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) participaram da negociação. Para se entregar, os rapazes não quiseram a presença de parentes e fizeram uma única exigência, segundo o comandante do 3º Batalhão de Choque, tenente-coronel Flávio Jari de Pieri: aparecer na televisão. A imprensa foi chamada e, enquanto isso, um deles telefonou para a irmã, que pediu a um amigo, identificado como Fabinho, ir até a casa. Quando ele chegou lá, os policiais avisaram ao bando, que se entregou, mais calmo, sem oferecer resistência. Foram presos Elias Otávio Dionísio, de 18 anos, e os irmãos Bruno e Joelson Rodrigues dos Reis, de 20 e 21 anos e um menor, de 16 anos, todos amigos e moradores da Vila Farina, em São Bernardo. Dois deles já têm passagem, segundo policiais. O grupo foi autuado em flagrante no 3º Distrito Policial de São Bernardo do Campo por tentativa de roubo, com porte ilegal de arma, e cárcere privado. O menor será encaminhado à Fundação Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
casal feito refém

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.