Grupo faz arrastão dentro de brinquedo no Hopi Hari

Grupo faz arrastão dentro de brinquedo no Hopi Hari

Este é o segundo caso no parque em menos de um mês; segundo a PM, suspeitos aproveitaram a lotação e escuridão do brinquedo

Chico Siqueira , Especial para O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2014 | 19h48

ARAÇATUBA - Frequentadores do Hopi Hari, em Vinhedo, interior de São Paulo, foram roubados em arrastão, na quarta-feira, 22, dentro de um brinquedo chamado Manicômio - um túnel escuro onde as pessoas se assustam com encenações e brincadeiras de terror feitas por atores. É o segundo caso no parque em menos de um mês. Três adultos e dois adolescentes foram presos. Com eles, a Polícia Militar apreendeu 15 celulares, R$ 689 e um cartão de crédito.

Segundo a PM, o grupo, que era de São Paulo, aproveitou a lotação do brinquedo e a escuridão para roubar celulares, carteiras e objetos dos visitantes. Eles foram detidos com a ajuda dos seguranças do parque. 

“Como estava lotado e o espaço era pequeno para tanta gente, as pessoas se esbarravam umas nas outras, e eles então aproveitaram para abrir as mochilas ou dar empurrões para facilitar o roubo de celulares e objetos das pessoas”, contou a estudante Maria Carolina Cunha.


Depoimentos de cinco vítimas relataram o susto que passaram no brinquedo - uma delas entrou em luta corporal com um dos ladrões para tentar reaver o celular. Na delegacia de Vinhedo, o caso foi registrado como roubo, furto qualificado, associação para formação de quadrilha e ato infracional.

Segundo os investidores, o que ocorreu foram furtos e roubos em séries, pois os marginais aproveitaram várias sessões do brinquedo para entrar, roubar e furtar as pessoas no túnel e, depois, saíam e voltavam para repetir a ação.

A passagem pelo túnel dura entre três e cinco minutos. Uma professora que acompanhava um grupo de estudantes e teve um celular roubado disse que o problema foi a lotação e a falta de segurança e de câmeras no interior do brinquedo.

Outro lado. A assessoria do Hopi Hari negou ter havido arrastão no interior do parque e disse que recebeu a informação de sete casos de furtos de pertences. 

Segundo a nota divulgada pelo parque, “a equipe de segurança atuou na identificação dos suspeitos conforme descrição dada pelos visitantes e acionou a Polícia Militar, que tratou o caso imediatamente, detendo os suspeitos e evidenciando o furto”.

“Cinco suspeitos foram conduzidos à delegacia. Trata-se de caso de furto que foi resolvido pela equipe de segurança do parque dentro de seu procedimento padrão”, afirma a nota.

A nota ainda descreve o brinquedo Manicômio e diz que não há tumulto na atração, mas que “é recomendada atenção quanto à guarda de pertences, orientação dada também verbalmente pelo nosso atendente”.

O parque diz que o ambiente da atração é “de brincadeira e sustos” para distrair os visitantes, mas admite que “pessoas mal intencionadas podem aproveitar para agir”.

“Foi o que ocorreu, quando nossa segurança agiu em conjunto com a Polícia Militar, detendo os suspeitos, evidenciando os furtos e devolvendo os bens dos visitantes que relataram o fato”, conclui a nota.

Tudo o que sabemos sobre:
Hopi HariVinhedoSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.