Grupo é acusado de explorar prostituição e de outras fraudes

Os nigerianos estão na mira da polícia em outras modalidades criminosas, como falsificação de documentos, fraudes em telefonia celular e até prostituição. Para se manter no País, os africanos buscam criar vínculos. Casam-se com brasileiras ou pagam a elas para ter seus filhos.

Plinio Delphino, O Estado de S.Paulo

24 Janeiro 2011 | 00h00

Nas prisões de nigerianos em 2010, a polícia apreendeu vários celulares que, segundo o delegado seccional Aldo Galiano, são cadastrados com CPFs de outras pessoas. "É falsidade ideológica", disse Galiano. Muitas lojas, como salões de cabeleireiros no centro, têm telefones clandestinos, de onde os africanos falam com outros países sem pagar nada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.