Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Greve na CPTM é ampliada para todas as linhas; ônibus seguem parados no ABC

Quase 2,5 milhões de usuários de trens serão afetados; no ABC, seis empresas estão trabalhando

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

02 de junho de 2011 | 04h27

SÃO PAULO- Tanto os paulistanos como os moradores da Grande São Paulo estão sem transporte ferroviário, operado pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em razão da greve dos ferroviários, decretada na noite de terça-feira e que se estendeu nesta manhã de quinta-feira, 2, para as seis linhas da malha ferroviária da região metropolitana.

  

Segundo a assessoria de imprensa da CPTM, a greve afeta 100% das 89 estações localizadas em 22 cidades da Grande São Paulo. São quase 2,5 milhões de usuários afetados pela paralisação, cujo destino será resolvido por volta das 8 horas em uma reunião entre representantes dos quatro sindicatos da categoria e a companhia estatal.

 

Segundo ainda a CPTM, até as 4h15 desta manhã, em razão da paralisação que abrange 100% da malha ferroviária, não foi possível colocar em operação o Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese), que redireciona algumas linhas de ônibus para o itinerário dos trechos do sistema afetados pela paralisação.

 

A SPTrans informou que 21 linhas de ônibus que teriam como destino final a estação Guaianazes da CPTM, e três que iriam até a estação José Bonifácio, tiveram seu itinerário expandido até a estação Corinthians-Itaquera do metrô.

 

Os funcionários querem 5% de aumento nos salários e o governo oferece 3,7%. Uma nova reunião entre sindicalistas e CPTM deve ser realizada na manhã desta quinta-feira.

 

ABC. No Grande ABC, motoristas e cobradores de ônibus de empresas particulares decidiram manter a greve iniciada na quarta-feira, 1. A paralisação afeta o transporte municipal e intermunicipal em Santo André, São Bernardo do Campo, Mauá, Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires e São Caetano do Sul e Diadema. A assessoria da EMTU informou que conseguiu ontem, 1, liminar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que obriga a circulação de pelo menos 80% da frota de 850 ônibus, em 130 linhas, que atendem os passageiros em toda a região.

 

A multa diária para o descumprimento da decisão é de R$ 200 mil. Até às 6h30, das 19 empresas, três operavam normalmente, três parcialmente e as 13 restantes estavam totalmente paralisadas.

 

Os trabalhadores querem 15% de aumento nos salários, mas as companhias oferecem 8%. O sindicato que representa os funcionários afirma que as empresas não apresentaram nova proposta. Nesta quinta-feira, vai ser realizada uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT)./ COLABOROU PEDRO DA ROCHA

 

Veja também:

video VÍDEO: A manhã de greve no transporte público

mais imagens FOTOS: greve atrapalha trabalhadores

linkMetroviários adiam decisão sobre greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.