Greve dos ônibus entra no segundo dia em Florianópolis

É a quarta paralisação dos serviços desde 19 de maio; categoria quer estabilidade para cobradores

Ricardo Valota, da Central de Notícias,

01 de julho de 2009 | 08h18

A greve de motoristas e cobradores de ônibus de Florianópolis, Santa Catarina, entra no segundo dia consecutivo nesta quarta-feira, 1, afetando cerca de 200 mil pessoas. É a quarta paralisação do serviço de ônibus desde 19 de maio, quando a interrupção chegou a 33 horas.

 

Na terça-feira, 30, pelo menos 16 ônibus, a maioria na zona norte da cidade, foram apedrejados durante os tumultos promovidos pelos grevistas. Muitos coletivos permaneceram estacionados durante todo o dia em pátios e em terminais. A travessia ilha/continente ficou caótica.

 

Representantes do sindicato dos trabalhadores, do sindicato das empresas e da prefeitura se reuniram na terça-feira no Ministério Público do Trabalho, mas não houve acordo. Nova reunião ocorre nesta quarta-feira.

 

Umas das reivindicações da categoria é a estabilidade para os cobradores. Segundo a Secretaria Municipal dos Transportes, as empresas de ônibus pretendem manter os atuais cobradores, mas não devem contratar novos trabalhadores para a função. A Secretaria de Transportes manteve a proposta da prefeitura de reajuste salarial de 7% e no vale-alimentação, que passaria para R$ 310.

 

O Ministério Público afirmou que manterá a multa de R$ 50 mil por dia, caso o sindicato dos trabalhadores não mantenha 50% da frota nos horários de pico - das 5h30 às 8h30 e das 17 horas às 20h30 - e 20% nos demais horários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.