Greve de vigilantes fecha 493 agências bancárias em São Paulo

Segundo sindicato dos bancários, agências que abriram sem pelo menos dois vigias estão desrespeitando lei

Elvis Pereira, esatdao.com.br

03 de junho de 2008 | 16h07

A greve de vigilantes resultou nesta terça-feira, 3, no fechamento de 493 agências bancárias na capital paulista e em Osasco, na Grande São Paulo. O levantamento foi feito pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, por volta das 13h30. Segundo a entidade, se abrirem sem pelo menos dois vigilantes, as agências descumprem a Lei Federal 7.102/83, que trata de segurança bancária.  O centro paulistano acumulava o maior número de agências fechadas: 244. A região norte vinha em seguida, com 204. No entorno da Avenida Paulista, o total chegava a 24 e em Osasco, a 21. "As instituições financeiras que estão desrespeitando a lei serão responsabilizadas por eventuais danos aos trabalhadores e à população. Os bancos têm de preservar a integridade física de bancários e clientes", explicou o presidente do sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, em nota.  O sindicato afirmou que enviou uma carta à Polícia Federal de São Paulo na qual solicita a fiscalização das agências que desrespeitarem a lei. Também foi enviado comunicado aos departamentos de recursos humanos dos bancos cobrando o cumprimento da regra. De acordo com o sindicato, "as direções do Unibanco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Nossa Caixa, Itaú e Safra se comprometeram em não abrir agências sem vigilantes".  Greve Os vigilantes decidiram pela paralisação na noite de segunda-feira, 2, em assembléia. Eles reivindicam adicional de risco de vida de no mínimo 15%, participação nos lucros e resultados e reajuste salarial de 9,9%. No início da manhã, a categoria iniciou uma passeata pela cidade. O protesto chegou a reunir cerca de 4,5 mil trabalhadores na Rua da Consolação, por volta das 12h30, conforme estimativa da Polícia Militar.  Por volta das 15h30, cerca 350 manifestantes estavam em frente à Câmara Municipal, no Viaduto Jacareí, na República, com dois carros de som. Uma faixa da via no sentido centro teve de ser interditada, mas o bloqueio não prejudicava o trânsito na região, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.