Werther Santana/ Estadão
Werther Santana/ Estadão

Greve de motoristas de ônibus em SP: corridas por aplicativos mais que dobram de valor

Uber afirma que os chamados preços dinâmicos são praticados quando há aumento de demanda; Já a 99 afirma que o valor das tarifas é definido a partir de uma equação que leva em conta demanda e oferta

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2022 | 11h58

SÃO PAULO - Quem precisou utilizar o transporte por meio de aplicativos, como Uber e 99, como alternativa diante da greve dos motoristas de ônibus nesta terça-feira, na capita paulista, se assustou com os preços nesta terça-feira, 14. Pela manhã, usuários relataram que as corridas estavam com valores acima do dobro. O aumento, em razão de alta demanda, foi criticado por passageiros.

A comerciante Rosineide Santos, de 52 anos, mora no Limoeiro, na zona leste. Para chegar ao trabalho, que fica na região do Aricanduva, na mesma região, utiliza dois ônibus municipais. Com a paralisação da categoria, fez simulações pelo aplicativo. Além de observar maior tempo de espera, também constatou que o custo estava muito mais caro. "Geralmente, fica em torno de R$ 20, mas estava o dobro do preço. Greve de ônibus e preços salgados de aplicativos. É impossível encontrar uma alternativa para chegar ao trabalho hoje", disse. A opção encontrada foi combinar para tentar entrar mais tarde, na esperança que a situação esteja normalizada.

Em algumas simulações, uma corrida de cinco quilômetros, entre Ermelino Matarazzo e Vila Curuçá, dois bairros próximos na zona leste paulistana, que em dia normal sairia por R$ 15, chegou a aparecer no valor de R$ 41, pela manhã. Percusos mais longos - de São Miguel Paulista, zona leste ao Brooklin, zona sul - em torno de R$ 60 em dias normais, estavam acima de R$ 110. Nos aplicativos, constam agora que os preços estão mais estão "um pouco mais altos" do que o normal.

Nas redes sociais, há relatos de pessoas se queixando dos altos valores. "Mais um dia abençoado pra quem mora em São Paulo. Greve de ônibus. Impossível entrar na estação do Metrô. Uber mil reais até a esquina", postou a internauta Maya Battaglia.

Tiago Bueno, outro internauta, lamentou a estimativa de R$ 50 para se deslocar pela 99 em um trajeto de dois quilômetros de distância. "Nada como uma greve pra parar logo tudo", acrescentou ele.

Em nota, a Uber diz que os chamados preços dinâmicos são praticados quando há aumento de demanda. A empresa faz ofertas para os motoristas parceiros terem ganho e possam rodar pela cidade, mesmo em razão do maior congestionamento registrado. Ainda de acordo com a Uber, essa é uma prática já adotada sempre que há mais demanda em determinadas regiões.

Já a 99 afirma que o valor das tarifas é definido a partir de uma equação que leva em conta demanda e oferta, podendo ter o seu valor final afetado por variantes como: excesso de trânsito, chuva ou aumento de demanda, o que vem sendo verificado no dia de hoje. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.