Google Street View/Reprodução
Google Street View/Reprodução

Greve de funcionários de viação afeta ônibus nas zonas sul e leste

Vila Prudente, São Mateus, Ipiranga e Sacomã foram os principais bairros prejudicados - SPTrans acionou o Paese; paralisação foi encerrada

Priscila Mengue e Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2016 | 10h31
Atualizado 18 Agosto 2016 | 12h03

SÃO PAULO - Uma greve de funcionários da empresa de ônibus Via Sul Transportes Urbanos afetou a circulação de linhas de coletivos na região sudeste da capital paulista nas primeiras horas desta quinta-feira, 18. As principais localidades prejudicadas foram Vila Prudente e São Mateus, na zona leste, além de Ipiranga e Sacomã - de onde sai o Expresso Tiradentes -, na zona sul.  

Segundo o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindimotoristas), a paralisação foi encerrada às 6h50 após reunião dos sindicalistas. 

Para atender aos usuários das zonas sul e leste, a São Paulo Transporte (SPTrans) acionou o Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese). O sistema foi acionado às 4h30 para remanejar a frota de outras empresas e atender 41 linhas da região sudeste. A SPTrans não tinha previsão de normalização do serviço.

A SPTrans informou ainda que houve uma reunião, durante a madrugada, para discutir as demandas do sindicato. Não há informações, porém, sobre quem estava presente. No início da manhã desta quinta-feira, sindicalistas se reuniram e decidiram retomar os trabalhos. 

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo  (SPUrbanuss) informou que a paralisação de três horas foi motivada pela demissão de dois empregados por justa causa e a advertência de outros dois operados, o que gerou protestos. "Houve solicitação do Sindmotoristas para que essas demissões e advertências sejam revertidas, o que está em análise pela empresa. Não há problemas de pagamento de salários e de horas extras", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.