Greve de delegados para 44 delegacias de SP por quatro horas

Paralisação na capital ocorreu em quase metade dos 93 distritos, entre as 10 e as 14h; ato por melhores salários e valorização da carreira também ocorre no restante do Estado

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2013 | 16h02

SÃO PAULO - Um total de 44 dos 93 distritos policiais da cidade de São Paulo deixaram de registrar ocorrências entre as 10h às 14h nesta quinta-feira, 8, por causa da greve dos delegados realizada em todo o Estado pela valorização da carreira. O balanço foi divulgado pela Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp).

Com a pauta focada em mais infraestrutura para a Polícia Civil e a reposições salariais, a categoria parou em dezenas de cidades. Na capital, 300 policiais partiram da Avenida Ipiranga, 919, para uma passeata com destino à sede da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, na Rua Líbero Badaró, também no centro. Por volta das 16h,eles passaram pela Delegacia Geral da Polícia Civil, na Rua Brigadeiro Tobias. No local também fica a sede do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), onde é investigado o assassinato de uma família de policiais na Brasilândia.

O grupo de delegados e simpatizantes da causa vestiam camisetas brancas e traziam cartazes com críticas a política de segurança do Estado: "a cada dez dias, um delegado abandona a carreira em São Paulo", dizia um deles. Carros de apoio acompanhavam a mobilização.

Atendimento. A reportagem esteve em três delegacias nesta quinta-feira entre as 10h e as 14h. Quem quis registrar ocorrências nesse período, foi aconselhado a voltar mais tarde. Os distritos visitados foram os seguintes: 2ºDP (Bom Retiro); 78ºDP (Jardins) e o 13ºDP (Casa Verde).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.