Greve de balseiros prejudica 5 mil pessoas

Cerca de 5 mil pessoas que moram na Ilha do Bororé, no extremo sul da capital paulista, estão sendo prejudicadas pela greve dos funcionários que trabalham nas balsas que levam moradores até o bairro do Grajaú. Segundo eles, há um caminho por terra para chegar ao local, mas que é 20 km mais distante e por onde muitos dos motoristas de ônibus se recusam a passar por ser perigoso. O trajeto também é de estrada de terra e é comum carros e coletivos quebrarem na passagem. Os balseiros entraram em greve às 17h de ontem e não têm previsão para voltar ao trabalho.

O Estado de S.Paulo

07 Julho 2012 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.