Grella diz que a polícia vai transferir presos de delegacias para presídios durante greve de agentes

Por causa da paralisação da categoria, carceragens de D.Ps enfretam superlotação

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

20 Março 2014 | 13h39

RIO - O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, disse na manhã desta quinta-feira, 20, que, enquanto durar a greve dos agentes penitenciários, a polícia vai realizar a transferência de presos das carceragens das delegacias para presídios administrados pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP). Segundo ele, as oito delegacias de trânsito da capital têm 276 vagas e chegaram a abrigar 756 pessoas.

"Já estamos equacionando isso: em conjunto com a SAP montamos um esquema que vai permitir a inclusão de parte desses presos, que são condenados e foram recapturados, e a parte que ainda são presos processuais, que respondem a processos. Ontem mesmo tivemos uma reunião conjunta (Polícia Civil, Polícia Militar e SAP). Algumas medidas já estão sendo implementadas a partir de hoje, e elas tendem a reverter esse quadro nos próximos dias. Mas está sobre controle", afirmou Grella, após participar do seminário "Diálogos de Segurança Cidadã", promovido pelo Instituto Igarapé, na zona sul do Rio de Janeiro.

De acordo com o secretário, a superlotação das delegacias deve ser resolvida em uma semana. "Nós esperamos que (o problema seja solucionado) o mais rápido possível. Não é uma coisa que se regularize em um ou dois dias, mas acredito que em uma semana nós teremos condições de ter a situação normalizada.

Grella afirmou ainda que a Procuradoria Geral do Estado vai cobrar o pagamento da multa diária imposta pela Justiça ao Sindicato dos Agentes Penitenciários em virtude do descumprimento da decisão para que retornem ao trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.