Grella considera ação da PM em protesto 'exitosa' e diz que vai investigar abusos

Ato 'Não vai ter Copa', no sábado, terminou com 262 presos, o maio número desde 2013; jornalistas foram agredidos

O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2014 | 10h53

SÃO PAULO - O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella, classificou como "exitosa" a ação da Polícia Militar na manifestação anti copa do sábado, 22, que teve 262 detidos. "Foi uma operação feita com o propósito de evitar a quebra da ordem. Foi exitosa a nosso ver porque nós tivemos um menor número de feridos, uma quantidade muito inferior de danos e um tumulto muito menos expressivo para a sociedade", disse Grella.

O protesto "Não Vai Ter Copa" reuniu cerca de mil manifestantes na região central da cidade, registrou o maior saldo de prisões em manifestações.

Sobre a agressão a jornalistas, Grella disse que não houve orientação para impedir o trabalho da imprensa."Todas as situações individuais de notícias de abuso serão apuradas , objetos de um inquérito. Nós esperamos que os jornalistas compareçam, sejam ouvidos e nos ajude a revelar a verdade. Não há nenhuma dificuldade em apurar e se ficar confirmado aquela agressão punir os policiais".

Segundo a PM, cinco policiais, dois manifestantes e um jornalista ficaram feridos e ao menos duas agências bancárias foram depredadas. A megaoperação envolveu 2,3 mil policiais, número superior aos 1,5 mil manifestantes calculados pela polícia. Apesar do aparato, nenhum dos detidos foi autuado em flagrante e todos foram liberados. No ano passado, foram 116 flagrantes, que resultaram em inquérito na Polícia Civil, que já ouviu quase 300 pessoas.

Mais conteúdo sobre:
violência em sp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.