Grávida é esfaqueada pelo marido em SP e crianças morrem

Médicos tentaram salvar gêmeos, ainda no 8º mês de gestação, mas não tiveram sucesso; mãe segue internada

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2009 | 15h56

A dona de casa Eugênia Betânia da Silva Pereira, de 27 anos, grávida de gêmeos, foi esfaqueada pelo marido, no final da tarde de domingo, em Mairinque, a 65 km de São Paulo. Os golpes, desferidos com uma faca de cozinha, atingiram as costas e a barriga da mulher. Eugênia entrava no oitavo mês de gravidez. Ela foi operada na maternidade de um hospital da cidade, mas os médicos não conseguiram salvar os bebês - um deles foi retirado com vida, mas não resistiu.

 

O agressor, o próprio pai dos gêmeos, Marcos Aparecido Ribeiro dos Santos, disse à polícia que "tinha perdido a cabeça" por sentir muito ciúme da mulher. O casal morava junto havia dois anos e Eugênia tinha um filho de outro relacionamento. O garoto, de 4 anos, presenciou o crime. O acusado foi levado para a Cadeia Pública de Pilar do Sul. Familiares disseram que ele tinha problemas mentais e tomava remédios controlados.

 

Eugênia, que perdeu muito sangue até ser socorrida, foi transferida para o Hospital Regional de Sorocaba. Nesta segunda-feira, 10, seu quadro era estável e, segundo os médicos, ela já não corria risco de morrer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.