Grávida acusa hospital de omissão de socorro

Tatiane de Souza de Araújo, com 40 semanas de gravidez, acusou a equipe do Hospital Ronaldo Gazolla, na zona norte, de se negar a interná-la e realizar seu parto. Ela afirmou que perdeu líquido amniótico e tinha dores e que não foi atendida por falta de pessoal. O hospital afirmou que a equipe não estava desfalcada e que Tatiane ainda não precisava de internação, o que só é feito a partir da 41.ª semana de gravidez. Tatiane deu à luz ontem, em outro hospital municipal. Há duas semanas, a menina Adrielly Vieira foi baleada e morreu após esperar 8h por um médico que havia faltado ao plantão de Natal.

O Estado de S.Paulo

06 Janeiro 2013 | 02h01

O corpo da modelo brasileira Camila Bezerra Veras, de 22 anos, encontrada morta na China após cair de um prédio ao voltar de uma festa de réveillon, só deverá chegar ao Brasil na próxima semana. A previsão é da advogada da família. Ela acusa a burocracia chinesa de dificultar a liberação do corpo, que deveria ter chegado um dia após a morte. O governo chinês ofereceu cremar o corpo e enviar as cinzas para Fortaleza, mas a família recusou. O governo do Ceará pagou R$ 30 mil para que o traslado fosse feito.

Uma bola de futebol recheada com cocaína e aparelhos celulares foi encontrada ontem perto da Penitenciária de Marília, no interior paulista. De acordo com a polícia, um agente penitenciário ouviu um barulho do lado de fora do presídio e foi apurar o que estava acontecendo. O funcionário viu um homem correndo e, ao vistoriar o local, acabou achando a bola de futebol. Dentro do objeto, foram encontradas 167 porções de cocaína, cinco celulares, carregadores elétricos e até perfume. A Polícia Militar foi comunicada sobre o caso. Até a manhã de ontem, nenhum suspeito havia sido preso.

O prefeito Fernando Haddad (PT) anunciou ontem que vai identificar e cadastrar mais de 225 mil potenciais beneficiários que poderiam estar recebendo dinheiro do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada que hoje não participam dos programas federais. O trabalho será feito pela Secretaria de Assistência Social, em parceria com a Secretaria da Saúde. A Prefeitura afirmou também que vai realizar um banco de dados sobre violência contra as mulheres com informações municipais e estaduais e que vai elaborar um mapa com todos os equipamentos públicos da cidade, para incentivar seu uso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.