Grande São Paulo tem noite com 7 mortes

Pelo menos sete pessoas foram mortas entre a noite de anteontem e a madrugada de ontem na Grande São Paulo. Outras três foram baleadas, entre elas um delegado de Polícia Civil e um guarda-civil de Cotia.

ARTUR RODRIGUES , WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h10

Em Itaquera, na zona leste, Leonardo da Silva, de 19 anos, e Victor Martins, de 25, foram assassinados por quatro homens encapuzados em duas motos por volta das 23h30 de anteontem. "Estávamos conversando na rua quando eles chegaram atirando sem dizer nada", disse um sobrevivente. "Não deu um minuto, duas viaturas da Força Tática apareceram e recolheram os corpos e as cápsulas do chão", contou a testemunha.

Também na zona leste, o delegado Diogo Dias Zamut Júnior foi baleado no ombro por criminosos após deixar uma agência bancária em seu carro, perto do Viaduto Aricanduva. De acordo com ele, os criminosos não anunciaram assalto. Na troca de tiros, ele feriu um bandido e conseguiu fugir na contramão.

Na Freguesia do Ó, zona norte, um homem não identificado também foi morto.

Na Grande São Paulo, houve mais ataques. Em Cotia, por volta das 19 horas, um guarda-civil foi baleado de raspão na cabeça.

Guarulhos. Mesmo com a Operação Saturação em Guarulhos, o adolescente Alex Cordeiro de Lima, de 16 anos, morreu após ser baleado nas costas e no peito por desconhecidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.