Grande São Paulo tem dois homicídios na madrugada desta terça

Suspeito foi morto por policiais em Osasco e corpo de homem foi encontrado baleado em Diadema

Ricardo Valota, O Estado de S. Paulo

27 Novembro 2012 | 08h12

SÃO PAULO - Depois de um final de semana violento, com 15 homicídios apenas entre a noite de sábado e a madrugada de domingo, a Grande São Paulo teve um número menor de casos pelo segundo dia seguido. Foram registradas duas mortes, em Osasco e Diadema, na madrugada desta terça-feira, 27.

Em Osasco, um bandido foi morto e dois acabaram presos durante uma perseguição com tiroteio no início da madrugada. Os criminosos haviam acabado de assaltar uma residência, na qual uma família foi feita refém, na Rua Basílio da Gama, no bairro Bela Vista, próximo ao centro da cidade.

Após dominar os moradores e recolher objetos de valor, os quatro ladrões fugiram na moto e no Meriva em que chegaram e levaram também um Prisma. PMs foram avisados e localizaram os veículos do bando, dando início à perseguição, que terminou no Jardim das Bandeiras. Após bater contra um poste, na Rua Carlos Bela Coza, o suspeito que dirigia o Prisma desceu atirando e acabou baleado.

Ele foi levado pelos próprios policiais para o pronto-socorro Santo Antônio, mas não resistiu aos ferimentos. Dois comparsas dele, que ocupavam o Meriva, foram detidos próximo dali, mas o quarto criminoso fugiu na moto.

Em Diadema, um homem foi encontrado morto e algemado em via pública por policiais militares. A vítima, ainda não identificada, foi assassinada com vários tiros de pistola e de fuzil em frente ao número 120 da Rua Corumbatá, no Jardim Yvone. Não foram localizadas testemunhas do crime, que será investigado pela equipe do 3º Distrito Policial de Diadema.

Segurança Pública. Nessa segunda-feira, 26, foram anunciados os nomes dos novos chefes das polícias Civil e Militar no Estado de São Paulo. O Comando Geral da PM ficará com o coronel Benedito Roberto Meira, atual chefe da Casa Militar do Governo, e o cargo de delegado-geral da Polícia Civil será ocupado por Luiz Maurício Souza Blazeck. A Superintendência de Polícia técnico-científica continua com o perito criminal Celso Perioli, na função desde 1998. 

A troca na cúpula da segurança pública ocorre em meio a um onda de violência no Estado, especialmente na Grande São Paulo, com alta no assassinato de PMs e nas execuções de civis. A capital paulista registrou elevação de 114,6% nos homicídios em outubro,  na comparação com o mesmo mês do ano passado - foram 176 em 2012, contra 82 casos em 2011. Ao menos 94 policias militares morreram no Estado até domingo, parte deles alvos de ações do Primeiro Comando da Capital (PCC). Colaborou Felipe Tau

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.