Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Após polêmica, grafite volta a colorir muro cinza do Beco do Batman

Aposentado que havia coberto grafite permitiu que grafiteiro fizesse novo desenho em sua casa, na Vila Madalena

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

29 Abril 2017 | 13h45

O grafite voltou a colorir o único muro cinza do Beco do Batman, ponto turístico mais conhecido da Vila Madalena, na zona oeste da capital. Depois de resolver apagar, no dia 11 deste mês, os desenhos que fizeram sua casa, na Rua Gonçalo Afonso, se tornar uma das atrações do espaço, o aposentado João Batista da Silva, de 70 anos, liberou Binho Ribeiro, um dos artistas que haviam grafitado a parede há cerca de 20 anos, a criar uma nova obra, que já está praticamente pronta. 

Inicialmente criticado pela decisão de apagar a arte original, em uma ação que parecia estar associada à política antipichação do prefeito João Doria (PSDB), Silva explicou que sua atitude tinha como pano de fundo o objetivo de protestar contra a situação dos moradores do beco, que sofrem com o barulho dos frequentadores dia e noite, e não se posicionar contra a arte de rua. 

“Tem noite que tenho de levantar duas ou três vezes para chamar a atenção do pessoal que fica por aqui, conversando, bebendo, sobre o barulho que estão fazendo. Às vezes sou atendido, outras não. Espero que toda essa repercussão dê algum resultado. Nós, os moradores, temos as nossas reivindicações também. Gostaríamos que a Prefeitura limitasse, por exemplo, a circulação das pessoas depois de um certo horário, para que a gente possa descansar”, disse ontem.

A nova obra tem uma carpa gigante, um crisântemo e a figura de uma mulher como destaques. “Está ficando lindo”, diz.

Mais conteúdo sobre:
Vila MadalenaJoão Doria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.